A política de gestos do senador Roberto Rocha, que mostrou ao Maranhão a referência de um gestor, não de um político ideológico, a exemplo de alguns  Robin Woodes, do “rouba mas faz”.

 

Ele trouxe um gestor, Geraldo Alckmin, que deixou o governo de SP com superávit de 5 bilhões, onde tudo funciona, segurança, educação, saúde, emprego em alta. Existe coisa melhor para um Brasil arrasado?

Para inicio de conversa, não estou bajulando um senador. Não, se quisesse teria ficado no grupo comunista, de onde sai horrorizado. Quero falar de virtude, de atitude, sobre fazer gestos: a política “clássica” de Roberto Rocha que o diferencia dos políticos sujos da atualidade.

Quem melhor que Zé Reinaldo e Waldir Maranhão, hoje no PSDB, para ilustrar que política se faz com gestos?

O maranhão precisa urgente de gestos, de quem possa tirar nosso estado da dicotomia lulista, que colocou um “muro” do atraso dicotomizando a política entre “Sarneysistas” e Dinistas, coisa de quem perde tempo com infrutíferas politicagens quando deveria aplicar uma gestão voltada para tirar o Maranhão do atraso, da fome, violência, desemprego,etc.

O gestor Alckmin: fuga de maranhenses em busca de emprego e vida melhor em SP:

O senador maranhense foi feliz em tocar o dedo na ferida, a verdade é que muitos maranhenses continuam o “êxodo” para outros estados em busca de trabalho, emprego, o que demostra que o Maranhão não mudou, na verdade, com o governo “ideológico” de Flávio Dino só fez piorar.

Os gesto de Geraldo Alckmin pelos maranhenses de São Paulo, a essa altura do campeonato serviram para demostrar que, o Maranhão tem uma nova chance, basta sair da politicagem infrutífera, da política ideológica e focar na política de fazer gestão.

Querem um bom exemplo?

Alckmin ensinou durante sua vinda ao Maranhão que é possível fazer política sem usar as estruturas públicas para se perpetuar no poder. Estamos falando de um gestor que passou quatro mandatos como governador e ao sair deixou o estado (único do Brasil) com superávit de 5 bilhões.

Em sua conversa com os universitários na Universidade CEUMA, Alckmin foi perguntado quantos “capelãs” (melhor profissão da atualidade) em São Paulo. Sua resposta? Disse que zero, não existe capelão nomeado pelo governo de SP para desempenhar um oficio de humanidade, os que existem fazem por amor ao evangelho,  como Jesus Cristo fez, política se faz com virtude. Taí um bom gesto do gestor Alckmin.

Política sendo feita com gesto:

A vinda do ex-governador de São Paulo à capital do Maranhão (primeira do Nordeste a ser visitada em sua pré-campanha) teve gesto humano: hospital do câncer vai ganhar um aparelho que lhe foi negado. Saiba mais clicando aqui:

Abaixo, deixarei um bom exemplo da visita de Alckmin (gesto de um bom gestor que é médico) em visita ao Hospital Aldenora Bello (hospital que trata do câncer do Maranhão).